segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Emergir

Somos bombardeados com programas de caça de talentos nas mais diversas áreas, as edições repetem-se uma e outra vez, os vencedores são efémeros ilustres. Nos dias que correm todos acreditam ser especiais, todos querem ser conhecidos, mostrar ao mundo o quanto valem. Talvez por vivermos numa sociedade onde se apela à uniformidade, onde ser diferente, é ser marginal e onde quem é igual está integrado. Surge a necessidade de aparecer, fazem-se as mais ridículas figuras, tudo para sobressair na sociedade em série! Mas ainda assim, fazem-se espantosas descobertas, de pessoas com essência, dramatismo e intensidade ... ainda assim existem pessoas como Kseniya Simonova.


Suponho que seja bom ser-se diferente.

Sem comentários: